CONVÊNIO COM O IPSM

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Como que o país pode crescer se o governo tira dinheiro das duas maiores prioridades da população brasileira, que é saúde e educação( blog):Novo corte no orçamento tira R$ 4,6 bilhões do PAC; Saúde e Educação perderam mais de R$ 2 bilhões

Blog
Hoje em Dia
O governo anunciou nesta quinta-feira (30), a discriminação do novo corte orçamentário. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foi o principal alvo da tesourada adicional dada pelo governo no orçamento deste ano. Foram contingenciados mais R$ 4,66 bilhões do programa, o que corresponde a 55% do contingenciamento feito nas despesas do Poder Executivo, que soma R$ 8,47 bilhões.
O corte atingiu ainda as emendas parlamentares e R$ 327,1 milhões foram congelados. O ministério mais atingido foi o da Cidades, com R$ 1,32 bilhão contingenciado. Com dois dos maiores orçamentos da Esplanada dos Ministérios, as pastas da Saúde e Educação também sofreram com o corte, perdendo R$ 1,18 bilhão e R$ 1 bilhão respectivamente. Segundo o Planejamento, os dois ministérios foram protegidos e o bloqueio ficou abaixo da média geral.
"O bloqueio dos valores primou pela qualidade do gasto público, de modo que não houve um corte linear e alguns ministérios não foram contingenciados", informou nota do Ministério do Planejamento.
O Ministério dos Transportes terá um corte adicional de R$ 875,6 milhões. Integração Nacional perdeu R$ 723,4 milhões, a Fazenda, R$ 409 milhões e a Ciência e Tecnologia, R$ 350 milhões.
Nos demais Poderes, a tesoura foi de R$ 77 milhões no Poder Judiciário, R$ 28 milhões no Ministério Público da União, R$ 16 milhões no Legislativo e R$ 2 milhões na Defensoria Pública da União, somando R$ 125, 4 milhões.
O secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, disse mais cedo que o corte tentou preservar os ministérios da Saúde e Educação. "O corte é preponderante em custeio, preservando investimento no máximo possível", acrescentou.

Ministério Público denuncia Bené, 'operador' do PT

Hoje em Dia
Cercado por suspeitas de desvio de dinheiro público, Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, foi formalmente denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em Brasília por crimes de peculato e fraude em licitações. Segundo os procuradores, o empresário pode ter que devolver R$ 2,9 milhões supostamente desviados em um contrato com o Ministério das Cidades.

Ao contrário dos policiais de SP e Rio, agentes mineiros não temem andar nas ruas após expediente

Frequentemente, profissionais são vistos com uniforme
nas ruas e no transporte público em BH
Hoje em Dia
Na capital mineira, não é difícil encontrar policiais fardados ou com algum tipo de dispositivo que os identifiquem caminhando pelas ruas da cidade após um dia de trabalho. A realidade, no entanto, é bem diferente no restante do país. Pesquisa divulgada nesta quinta-feira (30) aponta que 75,6% dos profissionais de segurança pública brasileiros já foram alvos de ameaça fora do horário de trabalho.
Temendo a violência, 61,8% desses servidores evitam utilizar o transporte público fardados ou com distintivos. A situação é muito comum nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, conforme os dados coletados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
Porém, os policiais mineiros sentem-se seguros tanto durante o serviço quanto após o expediente, de acordo com os próprios profissionais. “Aqui, o bandido não entra em confronto com a polícia e a atuação dos policiais faz com que a sociedade sinta essa segurança”, explica o presidente da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares (Aspra), Marco Antônio Bahia.
Confiáveis
Em 2012, o Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp) da UFMG apontou as polícias Militar e Civil de Minas Gerais como as mais confiáveis do país. Pesquisadora do núcleo, a socióloga Ludmila Ribeiro afirma que a sensação de segurança está relacionada na forma de combate ao crime no Estado.
“O respeito e a legitimidade dos policiais são garantidos quando uma corporação trabalha estrategicamente e dentro da lei”, reforça.
Em nota, a Polícia Civil disse que a eficiência, qualidade, imparcialidade no respeito aos direitos humanos contribuíram para que a autoridade policial fosse respeitada no Estado. A opinião é compartilhada pelo assessor da Polícia Militar, capitão Antuer Júnior. “Uma polícia próxima da população garante essa segurança”.
Thandara Santos, pesquisadora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, observa que falta estratégia de enfrentamento à violência por parte das corporações no país. “Melhores condições de trabalho, qualificação dos profissionais e equipamentos são algumas das formas de melhorar a imagem das polícias”.
35% dos policiais brasileiros escondem de familiares, vizinhos e amigos a profissão ou evitam comentar a respeito da forma de trabalho exercido.

Eles acreditaram nela?(blog): Governadores prometem ajudar o governo contra pautas-bombas no Congresso

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloízio Mercadante (C),
acompanhado de governadores, fala à imprensa
após reunião com a presidenta Dilma Rousseff,
no Palácio da Alvorada
Estado de Minas
Os governadores de todos os estados do país que se reuniram nessa quinta-feira com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio da Alvorada, comprometeram-se a ajudar o governo a evitar a aprovação das chamadas pautas-bombas, projetos em tramitação no Congresso Nacional que, segundo o Executivo, podem gerar gastos adicionais, comprometendo o ajuste fiscal.


“Há um compromisso com a governabilidade, apoio ao ajuste fiscal para que seja votado e produza efeitos na economia e restabeleça o crescimento econômico e a geração de empregos. Apoio no combate à pauta-bomba, como o fator previdenciário, que impacta a previdência nos estados e apoio ao veto ao aumento do Judiciário, "disse o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), que falou em nome dos governadores dos estados da Região Sul.

Pactos de Dilma com governadores ficam apenas no papel

Há dois anos, a presidente Dilma reuniu governadores e prefeitos de capitais para propor um entendimento em prol do país. Dos desafios lançados, quase nada virou realidade

Estado de Minas
A convocação de todos os governadores para discutir temas como governabilidade, cooperação entre os entes federados e responsabilidade fiscal ocorre dois anos depois de um encontro semelhante em que a presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou cinco pactos em benefício do país e às vésperas de um novo protesto convocado para 16 de agosto. O último grande chamado ocorreu logo depois das manifestações de junho de 2013, quando a população foi às ruas pedir melhoria nos mais variados serviços públicos do país e o fim da corrupção. De lá para cá pouca coisa saiu do papel.

Na conversa com governadores e prefeitos em 2013, Dilma pediu um esforço de todos pela responsabilidade fiscal, mas nem mesmo seu governo conseguiu levar este pacto adiante. Tanto que ela está hoje às voltas com as pedaladas fiscais para maquiar as contas do Executivo. Outro pacto anunciado foi pela mobilidade. O contingenciamento diante da crise econômica, porém, freou os investimentos e poucos estados conseguiram avançar nos seus projetos de metrô e veículos de transporte rápido, os VLTs.

Datena rebate Maluf e avisa que 'jamais apertaria a mão dele para qualquer acordo político'

Deputado federal e ex-prefeito da capital paulista é aliado de Fernando Haddad (PT)

Datena rebateu fala de Maluf, que é aliado de Fernando HaddadDivulgação/Band
R7
Provável candidato do PP na disputa pela Prefeitura de São Paulo em 2016, o apresentador da TV Bandeirantes José Luiz Datena rebateu o agora correligionário Paulo Maluf, atualmente deputado federal, e afirmou em entrevista à rádio Gaúcha, nesta quinta-feira (30), que nunca firmaria qualquer acordo político com o ex-prefeito paulistano. Datena disse que Maluf "não manda mais nada" no partido.
— Eu aprendi através do meu pai a respeitar as pessoas de mais idade. O Maluf eu sei que está com a idade avançada e eu respeito demais o Maluf como homem, mas como político, evidente, que jamais apertaria a mão dele para qualquer acordo político. Nem para ser presidente de time de botão.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Policial militar é baleado no Bairro Gutierrez


Estado de Minas

Segundo a Polícia Militar (PM), o sargento, que é da Guarda Militar e responsável pela segurança do ex-governador de Minas, Alberto Pinto Coelho, foi abordado depois de deixar o político na sede do Partido Progressista (PP)

Um policial militar foi baleado durante um assalto na tarde desta quarta-feira no Bairro Gutierrez, na Região Oeste de Belo Horizonte. O sargento deixou o ex-governador Alberto Pinto Coelho (PP) na sede do Partido Progressista e depois foi abordado por homens quando deixava o local. Fábio Tadeu Cunha, de 50 anos, que é da Guarda Militar e responsável pela segurança do ex-governador, reagiu e trocou tiros com os criminosos. Ele acabou atingindo na barriga. Os assaltantes fugiram e ainda não foram encontrados. 

Polícia apreende mais de 100 quilos de drogas na Vila Cafezal

Operação resultou na apreensão de 100 quilos de maconha, sete quilos de crack e 24 pinos de cocaína. Homem que fazia a guarda do local conseguiu fugir

PM apreendeu 97 barras de maconha, 24 pinos de cocaína,
seis barras de crack, uma pistola 9 milímetros,
além de munição, carregadores e duas balanças de
precisão
Estado de Minas
Uma operação da Polícia Militar resultou na apreensão de mais de 100 quilos de drogas no fim da tarde desta quarta-feira, na Vila Cafezal, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Os militares chegaram a uma casa no Beco Piano por meio de denúncia anônima e encontraram 97 barras de maconha, 24 pinos de cocaína, seis barras de crack, uma pistola 9 milímetros, além de munição, carregadores e duas balanças de precisão.
De acordo com o sargento Dias, da 127ª Cia do 22º Batalhão, um homem que fazia a guarda do local percebeu a movimentação dos militares e conseguiu fugir. "Apesar da fuga, nós já identificamos o rapaz e também já sabemos quem era o proprietário da droga, que é um dos líderes do tráfico na região", diz o militar.

Ainda segundo o policial, a droga seria levada para outros pontos de distribuição no Aglomerado da Serra e vendida em bailes funk da região. As informações serão repassadas para a Polícia Civil, que ficará responsável pelas investigações.

Deputados usam CPI para investigar delator que acusa Eduardo Cunha

Hoje em Dia
A cúpula da CPI da Petrobras, formada em sua maioria por aliados do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), solicitou à empresa de espionagem Kroll que dê prioridade às investigações sobre o lobista Júlio Camargo, que acusa o peemedebista de ter pedido propina de US$ 5 milhões no esquema de corrupção da estatal.

Os aliados de Cunha querem receber as informações sobre Camargo até o fim de agosto. A intenção, segundo integrantes da CPI, é apontar contradições na delação premiada e desqualificar o depoimento do lobista mostrando evidências de que ele não contou toda a verdade e, portanto, descumpriu o acordo firmado com as autoridades.

A investigação paralela da CPI procura eventuais contas, movimentações financeiras e ativos patrimoniais no exterior que não foram mencionadas por Camargo na deleção. Com isso, os aliados de Cunha esperam derrubar as acusações de Camargo contra o presidente da Câmara.

O primeiro contrato firmado com a Kroll, no valor de R$ 1,18 milhão, já pago, estabelece que a empresa investigue 15 pessoas. Uma fonte ligada à investigação disse que o presidente da CPI, Hugo Motta (PMDB-PB), e um dos sub-relatores da comissão, André Moura (PSC-SE), escolheram 12 pessoas do hall de personagens que figuram na Operação Lava Jato para serem investigadas. Segundo versão oficial divulgada pela CPI, a Kroll já havia encontrado indícios da existência de ativos no exterior vinculados a essas pessoas.

Ativistas pró-impeachment acampam em frente à casa de Cunha em Brasília

Hoje em Dia
Integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL), um dos grupos que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff, estão acampados diante da residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em Brasília. A intenção dos cerca de 30 manifestantes que se revezarão no local até a próxima semana é pressionar para que o peemedebista acate o pedido de impeachment apresentado por eles no primeiro semestre deste ano.

Os ativistas chegaram ao local por volta das 20h. Quando Cunha chegou à residência, cumprimentou os ativistas e fez selfies com eles. "Ele está bastante popular. Já que o governo está impopular e ele rachou com o governo, ele está popular", disse o estudante de economia Maurício Bento, 23, coordenador do MBL Brasília.

O Movimento Brasil Livre apresentou pedido de impeachment a Cunha em maio. Há duas semanas, o presidente da Câmara afirmou que está consultando juristas, além de assessores da Casa , e que deve se manifestar sobre o assunto em meados de agosto.
"Com o presidente da Câmara que não faz parte da base do governo, achamos que é o momento ideal para pressioná-lo e para conseguir o impeachment. Convencê-lo a aceitar o pedido é essencial, um grande passo rumo à nossa meta do impeachment", afirmou Bento.

Homem de confiança de Pimentel na berlinda

Hoje em Dia
Aliado do governador Fernando Pimentel (PT) desde os tempos de Prefeitura de Belo Horizonte, no fim da década de 1990, o ex-sócio do petista e hoje assessor especial do governo mineiro, Otílio Prado, montou uma rede de empresas que atuaram na campanha eleitoral de 2014. Filho, sobrinha e outros parentes de Otílio são donos de ao menos três empresas que receberam praticamente R$ 1,8 milhão da campanha de Pimentel, que voltou a ser alvo de investigação do Ministério Público.
Parte do pagamento feito pelo PT às empresas recebeu um pente fino da equipe técnica do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), que reprovou neste mês as contas petistas das eleições.
As firmas contratadas durante a campanha de 2014 foram BBC Consultoria e Negócios, QA Consulting e AAP Instalação e Manutenção. Mesmo com objetos sociais distintos, as empresas dividem dois endereços na região Noroeste de Belo Horizonte. Há, além das citadas, até uma loja de roupas femininas compartilhando sede.
Ao menos seis parentes próximos de Otílio foram envolvidos nas empresas: dois filhos, uma nora, um cunhado, uma sobrinha e uma sobrinha-neta.
Relação antiga
Otílio acompanha de perto Pimentel desde o fim da década de 90. Em 1999, ainda na gestão de Célio de Castro (PSB), na qual o atual governador foi secretário da Fazenda, Otílio foi nomeado secretário particular do gabinete do prefeito, de onde só saiu em 2011, já com Marcio Lacerda (PSB), quando o PT ainda integrava a gestão. Durante mais de uma década, a nomenclatura do cargo mudou, mas não a proximidade com o gestor. Otílio também participou de três conselhos da administração.
Pimentel e Otílio foram sócios da empresa de consultoria P-21 entre a criação dela, em 2009, e 2012, quando o atual governador saiu da sociedade após denúncias de consultorias fantasmas. A firma passou a se chamar OPR Consultoria Imobiliária, foi transferida ao filho mais velho, Alexandre, e, no último mês, foi alvo de uma etapa da Operação Acrônimo, da Polícia Federal.
Os policiais, que investigam suposta lavagem de dinheiro e Caixa 2 a partir de contratos públicos, recolheram documentos e um computador da sede da OPR, na Zona Sul da capital. Na ocasião, o escritório político de Pimentel também foi alvo da ação.
Parentes dividem empresas de ramos distintos em um mesmo endereço em Belo Horizonte
Ao menos cinco empresas de parentes de Otílio funcionam, conforme registros na Junta Comercial, em apenas dois endereços na região Noroeste de BH. Três são responsáveis por receber cerca de R$ 1,8 milhão da campanha petista nas eleições de 2014. Parte desses pagamentos passou por auditoria do TRE-MG.
Em um dos locais, no bairro Carlos Prates, funcionam a QAConsulting, BBC e outra empresa registrada no nome de Alexandre Allan Prado e um cunhado de Otílio. Mesmo dividindo o endereço, as firmas possuem objetos sociais distintos.
A BBC, conforme o Hoje em Dia já revelou, foi criada pouco antes do período eleitoral, em abril de 2014, no nome da sobrinha Adriana Teixeira e sobrinha neta Samantha Teixeira Gomes de Prado.
A empresa chamava-se BBC Consultoria e Negócios e tinha como objeto social, dentre outros, prestar consultoria nos ramos de administração e organizar palestras e seminários sobre assuntos de interesse empresarial. Recebeu durante as eleições R$ 822 mil para prestar serviços de gestão de eventos políticos, incluindo logística de transporte, estadia e alimentação de Pimentel e da então candidata Dilma Rousseff.
Após o primeiro turno, o nome foi modificado para BBC Locação e Negócios e passou a ter como atividade econômica principal “locação de veículos, carros e caminhões e ônibus”.
A QAConsulting, que recebeu R$ 20 mil do PT durante as eleições, foi criada em 2002 pelos filhos de Otílio, Alexandre e Gustavo Daniel Prado. No início deste ano, Gustavo saiu do quadro societário, que passou a ter como sócio majoritário o cunhado de Otílio, Mauricio Gomes.
Já no bairro Padre Eustáquio está registrada a AAP, cujo nome fantasia é QACabling, no mesmo endereço onde funciona uma loja de roupas femininas da esposa de Alexandre.
A firma foi criada pelo próprio Alexandre em 2002 com o objeto social “serviços de instalação, manutenção elétrica, bem como cabeamento estruturado” e instalação de redes de computador. Em 2013, o filho de Otílio saiu da sociedade, mas a empresa continuou registrada no mesmo local. Um ano depois, recebeu R$ 950 mil da campanha petista em Minas.
A reportagem procurou Otílio e todas as empresas citadas. Não obteve retorno até o fechamento. Atualmente, Otílio é assessor especial da Fazenda e integrantes de três conselhos. O salário líquido é de cerca R$ 18 mil. O filho dele, Gustavo, é diretor de Negócios da Prodemge.
No dia 26 de junho, o Hoje em Dia divulgou a 2ª etapa da Operação Acrônimo, na qual o escritório político de Pimentel e a sede da OPR foram alvos de buscas. Na mesma semana, o jornal havia publicado o resultado da auditoria realizada em pagamentos a firmas ligadas a Otílio

Suspeito de pichar base da Polícia Militar é preso

Jovem, de 20 anos, pode pegar de três a seis anos de prisão

Comparsa do rapaz foi ouvido e liberado
Polícia Militar/Divulgação
R7
A Polícia Militar prendeu o suspeito de pichar uma base da corporação em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. O muro do local amanheceu com xingamentos nesta quarta-feira (29).
Lucas de Souza, de 20 anos, foi identificado como o autor das pichações e poderá pegar de três a seis anos de prisão. O comparsa dele, Edson Ferreira, 30, foi ouvido e liberado, mas será investigado por envolvimento em outros crimes.
No portão e no muro da base, localizada no bairro Honório Biacalho, os vandâlos escrevaram mensagens ofensivas aos militares e números que fazem alusão ao uso da maconha (4:20) e ao artigo do código penal referente ao tráfico de drogas (33). 
O rapaz também chamou os militares de "porcos de farda" e "vermes".

Vaccari fez sequência de visitas à cúpula da Andrade Gutierrez

Ex-tesoureiro do PT fez ao menos 17 visitas a Otávio de Azevedo Marques entre 2007 e 2014

João Vaccari Neto fez pelo menos 17 visitas a chefe de empreiteiraMarcelo Camargo/09.04.2015/Agência Brasil
R7
No rastro dos passos de João Vaccari Neto, a Polícia Federal descobriu que o ex-tesoureiro do PT fez pelo menos 17 visitas ao presidente da Andrade Gutierrez, empreiteira sob suspeita de ter integrado cartel para fraudes em licitações na Petrobras e na Eletronuclear.
A PF entregou à Procuradoria da República relatório com uma planilha que indica os períodos dos encontros do ex-tesoureiro — preso na Operação Lava Jato desde fevereiro de 2015 —, com o empresário Otávio de Azevedo Marques, que também encontra-se na prisão em Curitiba desde em 19 de junho.
Os registros na recepção do prédio-sede da empreiteira, no Brooklin Novo, em São Paulo, indicam, na avaliação dos investigadores, uma proximidade de Vaccari com a cúpula da Andrade Gutierrez.
O petista também foi recebido pelo executivo Flávio David Barra, presidente Global da Andrade Gutierrez Energia e capturado pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (28) por suspeita de pagamento de propinas para o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, presidente licenciado da Eletronuclear.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Tucanos pedem povo nas ruas em protesto contra Dilma

Deputados do PSDB já usam redes sociais para incentivar seus eleitores a protestar no dia 16

Blog
Estado de Minas
Antes mesmo de serem apresentados os vídeos do PSDB chamando o povo a se manifestar contra a presidente Dilma Rousseff (PT) no dia 16 de agosto, os tucanos já começaram a usar as redes sociais para incentivar seus seguidores a ir às ruas em um ato que terá como um dos motes o impeachment da petista. A mobilização, que já era ensaiada por alguns, se intensificou depois do aval dado na segunda-feira pelo presidente nacional da legenda, o senador Aécio Neves. Em Minas Gerais, os deputados estaduais do PSDB e aliados pretendem gravar uma chamada própria para pedir a participação no estado.

O líder da minoria na Assembleia, deputado Gustavo Valadares (PSDB), usou seu Twitter ontem para dizer que o dia 16 será o de mostrar que o Brasil de hoje não é o prometido em 2014. Para ele, que participou dos protestos de março e abril independentemente do partido, o PSDB já deveria ter adotado essa postura antes. “Agora, seguindo orientação do Aécio, vamos gravar um vídeo também e soltar nas redes sociais. Vamos tentar juntar os deputados na terça-feira, quando a Assembleia retoma os trabalhos, para produzir o material”, afirmou.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Só esperamos que os eleitores do Nordeste não cometam os mesmos erros que cometeram nas últimas eleições, votando nesse governo corruPTo ou trocando o seu voto por bolsas famílias (blog): Lideranças do governo e da oposição planejam peregrinação pelo Nordeste

Oposição e governo priorizam agendas de eventos na região para tentar conquistar população que foi decisiva nas últimas disputas presidenciais. Estados têm 26,7% do eleitorado do país

Estado de Minas
Brasília – A presidente Dilma Rousseff (PT), o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva iniciam o mês de agosto de olho no Nordeste. Três dos principais líderes políticos do país planejam uma série de viagens à região para cativar os nordestinos. Enquanto os governistas correm atrás da popularidade perdida, o tucano tenta reverter a desvantagem recente da oposição nesses nove estados. Ainda que desgostosos com o governo federal, jamais, nos últimos 13 anos, os moradores da região deram votos suficientes para que a oposição sonhasse em retornar ao Palácio do Planalto.