ANUNCIE AQUI E SAIA VENCEDOR

domingo, 21 de dezembro de 2014

NA GRANDE BH PM de folga é atropelado por ônibus em Pedro Leopoldo

Vítima foi levada de helicóptero para o Hospital João XXIII, onde segue internada em estado grave; em Contagem, homem bebeu e colocou fogo em casa

Um militar foi atropelado por um ônibus no bairro Dom Camilo, em Pedro Leopoldo, região metropolitana de Belo Horizonte, na tarde deste sábado (20). De acordo com a Polícia Militar (PM), o cabo Juarez Júlio de Souza, de 47anos, lotado em Matozinhos, na região Central de Minas, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros em estado grave e levado de helicóptero para o Hospital João XXIII, na capital.

EXCELÊNCIA Palhaço Tiririca fala sério no Congresso e usa paródia em projeto

Parlamentar propõe política nacional para redução do desperdício e justifica: "fome não tem graça"

Tiririca é um dos deputados que não se ausentou de
uma só sessão de plenário desde o início do mandato
Cientistas políticos são unânimes ao analisar o fenômeno Tiririca (PR-SP), reeleito deputado federal com mais de 1 milhão de votos: é um voto de protesto. Mas o palhaço por profissão e que debocha da classe política nas propagandas eleitorais trata de coisa séria no Congresso. Na última semana, o parlamentar, um dos únicos a comparecer a todas as sessões do mandato, apresentou projeto que institui a política nacional de redução de perdas e desperdício de alimentos. Na justificativa, usou tom emocional, lembrou sua história e citou até uma paródia que costuma cantar para sensibilizar os colegas.
O projeto de Tiririca propões princípios, objetivos, metas e ações a serem adotados pelo governo federal em cooperação com Estados, municípios e iniciativa privada, de modo a maximizar o aproveitamento para consumo humano dos alimentos no país. Entre as ações, defende que se conscientize as pessoas e se faça investimentos sobre os impactos do desperdício, a elaboração de iniciativas que tenham por finalidade a redução das perdas. Isso inclui, por exemplo, a inserção do tema no conteúdo programático do ensino fundamental, de disciplinas relacionadas à educação alimentar e nutricional, e a  conscientização quanto aos aspectos sociais, ambientais e econômicos relacionados às perdas e ao desperdício.
A política nacional versaria também sobre a capacitação de pessoal para produção, colheira, processamento, transporte, armazenamento e comercialização e a pesquisa científica que contribuíssem para reduzir as perdas.
Na justificativa, Tiririca lembra estimativa da O Organização das Nações Unidas para a Fome e a Alimentação  (FAO) de que a terça parte de todo o alimento produzido no mundo se perde ou é desperdiçada, provocando imenso impacto negativo sobre a economia global, a oferta mundial de alimentos e o meio ambiente. “Uma das coisas mais tristes e vergonhosas que acontecem todos os dias é o desperdício de toneladas e toneladas de alimentos, enquanto muitos não têm o que comer”, diz o parlamentar no texto. 
Tiririca destaca que foi menino pobre, cita a vida de humorista e resumiu: “Grandes humoristas brasileiros e de todo o mundo, que sempre me inspiraram, têm demonstrado rara capacidade de produzir humor nas mais variadas situações e até ajudado a amenizar a dor de crianças que sofrem com graves enfermidades, internadas em hospitais. No entanto, há coisas que definitivamente não têm graça, como a miséria e a fome”. 
Ao encerrar a justificativa, Tiririca volta a tratar de sua origem nos palcos. “Sem fome e sem miséria, muitos brasileiros que hoje enfrentam dificuldades poderão, de fato, perceber-se como cidadãos; bem alimentados, poderão aproveitar melhor a vida e, entre outras coisas, divertir-se com as pilhérias dos palhaços”, avalia, antes de citar uma paródia que costuma cantar nos palcos. Assim ele conclui:
"Não se admire se um dia 
menino de rua invadir 
a porta da sua casa, 
pegar alimento e fugir. 
Não condene esse menino, 
não chame ele de ladrão 
que leva sol e chuva 
e ainda dorme no chão. 
Mas se você parar pra pensar 
e prestar bem atenção 
’cê pode ajudar 
e tirar ele do chão. 
Já sabendo disso tudo 
ele vai lhe dar as mãos. 
É a nossa obrigação: 
ajudar nossos irmãos!"
http://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/palha%C3%A7o-tiririca-fala-s%C3%A9rio-no-congresso-e-usa-par%C3%B3dia-em-projeto-1.964154

Campanha pede doações para mineira que descobriu câncer raro 20 dias após parto

Família de Camila Gatti, de 32 anos, arrecada fundos para custear tratamento em São Paulo
Camila vai precisar ficar internada até o final do tratamentoReprodução/Facebook
A publicitária Camila Gatti, de 32 anos, viu sua vida ir do “céu ao inferno” em menos de um mês. A mineira de Belo Horizonte descobriu, 20 dias após o parto de seu primeiro filho, Davi, que estava com câncer no fêmur. Depois de se consultar com médicos de São Paulo, o diagnóstico mais completo caiu como uma bomba: Camila sofre de um tipo raríssimo e agressivo da doença, que atinge os ossos.
As dores começaram ainda no final da gestação. Impedida de realizar imagens de exame, no entanto, Camila aguardou o nascimento do bebê para investigar o problema. Depois de dar início aos procedimentos indicados pelos médicos de Belo Horizonte, no entanto, ela decidiu ir atrás de uma segunda opinião e obteve uma explicação mais detalhada no Hospital A.C Camargo, na capital paulista.
Determinados, o marido, a irmã e a mãe de Camila decidiram se mudar para a capital paulista junto com o recém-nascido, onde ela terá que permanecer até o final do tratamento por causa de uma lesão que sofreu no fêmur. A transferência brusca da família, no entanto, acarretou em vários gastos extras. Agora, uma campanha está sendo organizada pelas redes sociais. A página “Unidos por Deus pela cura de Camila Gatti” já tem cerca de 3.000 curtidas. Graziela Scalioni, amiga da família, ressalta que, além da ajuda financeira, o propósito é formar uma corrente de “energias positivas” para a publicitária.
— A corrente começou como um pedido de oração, para pedir energias positivas e ganhou uma proporção muito grande. Mas com o tratamento lá, a mudança da família inteira está gerando um alto custo, então vale qualquer tipo de ajuda.
As contribuições devem ser feitas pela conta da Caixa Econômica Federal, em nome de Igor Guimarães Lima. Agência 0621 Operação: 13 Conta Corrente: 3271-1. CPRF: 044.915.606-09.
http://noticias.r7.com/minas-gerais/campanha-pede-doacoes-para-mineira-que-descobriu-cancer-raro-20-dias-apos-parto-21122014

Moradores de Contagem convivem com buraco cheio de esgoto há três anos

Mulher teme que esgoto provoque infiltração em sua casa
Ironizando situação, moradores chamam local de pesque e pagueRecord Minas
Moradores de Contagem, na Grande BH, convivem com um enorme buraco cheio de esgoto há cerca de três anos. Eles dizem que já chamaram a Copasa diversas vezes, mas a empresa nunca resolveu o problema.  
A “cratera” fica no beco Mandacarus, no bairro Eldorado, utilizado pelos pedestres como um atalho entre duas ruas. Para ironizar a situação, eles montaram um acampamento no local e chamam de pesque e pague.   
Eva Lourdes mora ao lado do buraco. Ela reclama que o incômodo é constante.  
— A gente não esta aguentando mais ficar dentro de casa com esse cheiro. Em outubro a Copasa veio aqui e tampou o buraco mas com a primeira chuva o buraco reabriu.

Desafio do Judiciário para 2015 é conseguir ser rápido, aponta especialista

Para professor da FGV, Justiça que demora não "vale a pena"
A Justiça terá vários desafios em 2015. Porém, o principal de todos é conseguir ser rápida em atender às demandas da sociedade. Essa é a constatação de Carlos Ari Sundfeld, professor de direito da FGV (Fundação Getúlio Vargas).
— Em 2015, o Judiciário vai continuar com o que é o seu grande desafio: conseguir ser rápido. O Judiciário está afogado em processos. Os tribunais superiores, o Superior Tribunal de Justiça, que uniformiza a jurisprudência no País todo, os tribunais estaduais, os tribunais federais, eles estão abarrotados de processos.
Sundfeld também destacou que a Justiça, quando demora, é negativa para todos.
— Uma Justiça que demora, ela não vale a pena, ela é ruim pros negócios, ela gera impunidade... Então, o grande desafio do Judiciário é administrar bem o volume [de processos], de ser eficiente.
O professor da FGV também destacou que, desde a criação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), passou-se a ter mais informações sobre os processos e sua duração, o que favoreceu a implementação de metas. Isso, porém, ainda deve ser pensado a longo prazo.
— Ainda é muito cedo para comemorar, o Judiciário ainda está devendo mais eficiência, que é uma coisa que cabe a ele, aumentar a eficiência.
A essa demora, Sundfeld destaca o papel dos recursos, que estendem essa demanda.
— Os processos acabam dando muita oportunidade para a postergação, para a manipulação [...]. É preciso modernizar o processo, e isso o Judiciário não pode fazer sozinho. É preciso mudar as regras legais.
Veja abaixo a entrevista exclusiva de Carlos Ari Sundfeld ao R7:

sábado, 20 de dezembro de 2014

ALMG deve gastar até R$ 700 mil em janeiro com suplentes de deputados

Substitutos por apenas um mês dos deputados que vão virar secretários terão direito a salário e a todas as verbas do cargo

Deputados do governo e da oposição travaram uma 
batalha 
em plenário. Ao final, não houve acordo 
e nada 
foi votado pelos parlamentares
Os cofres públicos mineiros podem ter de desembolsar uma cifra de até R$ 700 mil em janeiro para pagar a convocação de pelo menos cinco suplentes de deputados estaduais para trabalhar por apenas um mês. Os substitutos podem assumir as vagas dos titulares em janeiro na Assembleia porque, sem a votação do orçamento de 2015, a Casa não entrou de recesso. De acordo com emenda à Constituição aprovada em 2012, os suplentes só não são chamados em caso de vaga em períodos de recesso oficial.

LEGISLATIVO Futura base de Pimentel “segura” análise da LDO

Acordo entre líderes possibilitou retirar projeto da pauta

Sem acordo. Reunião extraordinária realizada na manhã
de ontem terminou sem votar projetos
Mesmo com o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015 pronto para ir a plenário, um acordo de líderes na reunião desta sexta fez com que o texto fosse retirado de pauta. A oposição obstruiu as votações para que a proposta não fosse aprovada a tempo de ser validada para a gestão do governador eleito, Fernando Pimentel (PT).
 Caso não seja convocada uma nova reunião para votar o texto, os parlamentares entrarão em recesso branco, já que a votação da LDO é condição para que eles entrem de férias.

CASO DE AGRESSÃO Processo contra Bolsonaro não será concluído, avalia Eduardo Cunha

Candidato à presidência da Câmara dos Deputados esclareceu nesta sexta-feira (19) que, com o fim da atual legislatura, o caso não pode ser apreciado em 2015, no novo mandato

Na última semana, PT, PCdoB, PSB e PSOL acusaram, por
meio da representação, o deputado Jair Bolsonaro de
quebrar o decoro ao ofender a deputada Maria do Rosário
O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), candidato à presidência da Câmara dos Deputados, esclareceu nesta sexta-feira (19), em campanha no Rio de Janeiro, que a representação contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), por quebra de decoro parlamentar, não deve “ir adiante”. Ele disse que, com o fim da atual legislatura, o caso não pode ser apreciado em 2015, no novo mandato.
“[A representação] é fato desta legislatura”, disse. “Já tem jurisprudência”, completou, explicando que outros casos não puderam ser apreciados após o fim do mandato. Porém,  como líder do PMDB, Cunha aproveitou para condenar a declaração do deputado do PP-RJ.

Cantor Eduardo Costa é flagrado após estacionar Ferrari em local proibido

Presença do cantor chamou atenção dos fãs e dos policiais
Polícia Militar não confirmou se ele foi multadoRecord Minas
A Ferrari do cantor sertanejo Eduardo Costa foi flagrada estacionada em local proibido em Contagem, na Grande BH.
Um telespectador da Record Minas enviou as fotos que mostram o veículo parado em um ponto de ônibus. Segundo testemunhas, ele tem o costume de visitar os amigos que moram no local.
A presença do cantor chamou a atenção dos fãs e também dos policiais, que pediram para ele retirar o carro do local. A Polícia Militar não confirmou se ele foi multado.

Traficante que vendia drogas para jovens de classe alta é preso

Marcão do Vera Cruz, como é conhecido, vendia entorpecentes em festas de Montes Claros
Suspeito já tinha sido detido por posse de arma de fogoRecord Minas
Um dos maiores traficantes de Montes Claros, no norte de Minas Gerais, foi preso em uma operação conjunta das polícias Civil e Militar. Marcos Vinícius Barbosa, de 21 anos, vendia drogas para jovens de classe média e alta.
Segundo a polícia, apesar da pouca idade, a ficha criminal de Marcão do Vera Cruz, como é conhecido, é extensa. Além da venda de entorpecentes, ele já foi detido por posse de arma de fogo.
O rapaz foi detido saindo de um hotel. Para dificultar o trabalho da polícia, Marcão se revezava entre hospedagens na casa de amigos e em estabelecimentos.
Barbosa também vendia drogas em festas e já sofreu duas tentativas de assassinato. O braço-direito dele, Rodrigo Aguiar, já tinha sido preso em abril.

Ministérios Públicos criarão banco de dados nacional sobre as mortes cometidas por policiais

Para CNMP, “o uso desmensurado da força policial, em vez de reduzir a violência, promove o seu fomento e compromete a credibilidade das instituições”
Entre julho de 1995 e julho de 2014, PMs mataram 10.379 pessoas no Estado de São PauloReprodução Facebook
Com o objetivo de combater as rotineiras falhas em inquéritos policiais instaurados pela Polícia Civil para investigar mortes por membros das forças de segurança, a Comissão do Sistema Prisional, Controle Externo da Atividade Policial e Segurança Pública, do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), vai criar um banco nacional com dados sobre todas as mortes cometidas por policiais militares e civis no Brasil.
A criação do banco nacional de mortos pelas polícias terá informações como: nome da vítima, data e horário da morte, cidade, nomes dos policiais responsáveis pela morte, local de trabalho dos policiais, número do inquérito policial instaurado para apurar a morte cometida pelos policiais, informação se a morte foi ou não comunicada imediatamente ao Ministério Público, se o delegado da Polícia Civil foi ou não pessoalmente ao local da morte, se foi ou não realizada perícia na cena do crime, se foi ou não realizada necropsia, situação do inquérito policial (com diligências ou não, se foi arquivado ou se os policiais responsáveis pela morte foram denunciados à Justiça).
O projeto do CNMP prevê que o banco nacional de mortos pelas polícias começará a ser alimentado com informações a partir de janeiro de 2015. A apresentação do banco de dados acontecerá neste sábado (20). Os membros dos Ministérios Públicos de cada Estado terão a função de inserir os dados sobre as mortes cometidas por policiais no banco de dados, segundo o documento “O MP no enfrentamento à morte decorrente de intervenção policial”, lançado recentemente pelo CNMP.
Para o CNMP, “o uso desmensurado da força policial, em vez de reduzir a violência, promove o seu fomento e compromete a credibilidade das instituições policiais perante a sociedade”.
“E o mínimo que uma sociedade que conviva em um efetivo Estado democrático de direito é que, ocorrendo uma morte decorrente de intervenção policial, seja realizada a investigação, por meio da instauração do respectivo inquérito policial, ainda que exista um conjunto probatório a autorizar a conclusão da autoridade policial de que a conduta do agente estatal estava amparada em uma causa excludente de ilicitude”, consta no documento do CNMP.
O CNMP elegeu sete ações para fortalecer as investigações sobre as mortes cometidas por policiais que, em alguns lugares do Brasil, eram chamadas de “resistência [à prisão] seguida de morte” ou “auto de resistência [à prisão], e hoje, por orientação da SDH (Secretaria de Direitos Humanos), órgão vinculado ao gabinete da Presidência da República, são classificadas como “morte em decorrência de intervenção policial”.
Os objetivos do CNMP com a criação do banco nacional de mortes cometidas por policiais são:
1 - Fortalecer o controle externo da atividade policial através da realização de visitas semestrais às repartições policiais e aos órgãos de perícia
2 - Recomendar às respectivas Secretarias de Segurança Pública no sentido de inserir um campo específico nos boletins de ocorrência para registro de incidência de mortes decorrentes de atuação policial, assegurando que o delegado de polícia instaure, imediatamente, inquérito específico para apurar esse fato, sem prejuízo de eventual prisão em flagrante, requisitando o Ministério Público a sua instauração quando a autoridade policial não tiver assim procedido
3 - Assegurar que o Ministério Público adote medidas para que seja comunicado em até 24 horas, pela autoridade policial quando do emprego da força policial resultar ofensa à vida, para permitir o pronto acompanhamento pelo órgão ministerial responsável
4 - Assegurar que sejam adotadas medidas no sentido de que o delegado de polícia compareça pessoalmente ao local dos fatos, tão logo seja comunicado da ocorrência de uma morte por intervenção policial, providenciando o isolamento do local, a realização de perícia e a respectiva necropsia, as quais devem ter a devida celeridade
5 - Assegurar que o Ministério Público recomende à Corregedoria da Polícia Civil, para que as mortes decorrentes de intervenção por policiais civis sejam por ela investigadas
6 - Assegurar que, no caso de morte decorrente de intervenção policial, durante o exame necroscópico, seja obrigatória a realização de exame interno, documentação fotográfica e coleta de vestígios encontrados, assim como que o Inquérito Policial contenha informações sobre os registros de comunicação e movimentação das viaturas envolvidas na ocorrência
7 - Criação e disponibilização de um banco de dados pelo CNMP acerca das mortes decorrentes de intervenção policial, por Estado da Federação, tendo como dados mínimos obrigatórios: nome da vítima, data e horário do fato, município, nome dos policiais envolvidos, local de trabalho dos policiais envolvidos, número do respectivo inquérito policial, se foi feita a comunicação imediata ao Ministério Público, se o delegado de polícia compareceu pessoalmente ao local do fato, se foi realizada a perícia no local, se foi realizada a necropsia, situação do Inquérito Policial (em diligências, arquivado ou denunciado), com dados a partir de 2015, a ser alimentado pelos respectivos Ministérios Públicos
Letalidade da PM no Estado de São Paulo
Os números históricos da guerra entre PMs e população civilArte R7 e André Caramante
Levantamento realizado pelo R7 aponta que, entre julho de 1995 e julho de 2014, PMs mataram 10.379 pessoas no Estado de São Paulo. Foram 8.453 mortos por PMs em “mortes decorrentes de intervenção policial”, os supostos confrontos, e mais 1.926 mortes em situações como serviço de segurança privada (bico) brigas de trânsito, de bar, por motivos passionais, vingança e etc.
Ao todoos supostos enfrentamentos entre PMs e parte da população civil fizeram 11.569 mortos, entre julho de 1995 e julho deste ano — 10.379 civis e 1.190 PMs. São, em média, 50 mortos (45 civis e cincos PMs) a cada mês. Essa constatação só é possível a partir da análise dos dados do Centro de Inteligência da Polícia Militar.
Em seu site, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo apresenta apenas as mortes cometidas por PMs no horário de trabalho. Os outros assassinatos por PMs entram na vala dos homicídios dolosos (intencionais) comuns, mesmo quando eles matam com a arma do Estado, por exemplo.
A omissão das mortes cometidas por PMs em situações que as polícias classificam como fora do horário de trabalho representa uma omissão de 18,5% do total de mortos por PMs no Estado de São Paulo. 
http://noticias.r7.com/brasil/ministerios-publicos-criarao-banco-de-dados-nacional-sobre-as-mortes-cometidas-por-policiais-20122014

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Procuradoria Eleitoral pede cassação de governador e vice eleitos em Minas

Procurador acusa os políticos recém-eleitos de abuso de poder econômico durante a eleição
Fernando Pimentel será diplomado na próxima sexta-feira (19)Eugenio Moraes/25.09.2014/Hoje em dia/Estadão Conteúdo
Menos de 24 horas antes da cerimônia de diplomação, a Procuradoria Regional Eleitoral em Minas Gerais, por meio do procurador Patrick Salgado, do MPF (Ministério Público Federal), apresentou nesta quinta-feira (18) ação de investigação judicial eleitoral contra o governador e o vice-governador eleitos do Estado, Fernando Pimentel (PT) e Antônio Andrade (PMDB).

Na ação, o procurador pede a cassação dos diplomas de Pimentel e Andrade por "abuso de poder econômico". Assim que a ação for protocolada no TRE (Tribunal Regional Eleitora), será aberto prazo para a defesa da campanha, que não quis se pronunciar sobre o assunto.

Viatura da PM bate em canteiro e complica trânsito na avenida Amazonas em BH

Acidente aconteceu na altura do bairro Nova Suissa, região oeste da capital mineira
Uma viatura da PM (Polícia Militar) se envolveu em um acidente na manhã desta sexta-feira (19) deixando o trânsito complicado na avenida Amazonas, altura do bairro Nova Suissa, região oeste de Belo Horizonte.  
Segundo a corporação, um dos pneus da viatura teria estourado fazendo com que o militar que conduzia o veículo perdesse o controle da direção, vindo a colidir contra grades do canteiro central da avenida.

Suposto assaltante é morto a pedradas na região oeste de BH

Vítima também teria envolvimento com drogas
Crime aconteceu na rua Flor de Colina, bairro Nova GameleiraGoogle Street View/Reprodução
Um homem foi morto a pedradas na noite de quinta-feira (18) no bairro Nova Gameleira, na região oeste de Belo Horizonte. Segundo a PM (Polícia Militar), a vítima foi agredida na rua Flor da Colina, mas ninguém foi preso pelo crime.  
Ainda conforme a PM, uma denúncia anônima informou que três pessoas estariam gritando "pega ladrão" e correndo atrás de um homem. Entretanto, quando a polícia chegou ao local do crime, a vítima já estava sem vida e com vários ferimentos.  
Na região, moradores não disseram nada sobre o crime, mas um irmão da vítima teria reconhecido o corpo e relatou que o rapaz teria envolvimento com o tráfico de drogas. No entanto, ele não soube informar quem seriam os autores das agressões.  
A perícia compareceu ao local e constatou que o homem apresentava múltiplas feridas pelo corpo e afundamento na cabeça. O corpo foi removido para o IML (Instituto Médico-Legal) e o caso será investigado pela Polícia Civil.
Em outubro deste ano, um morador de rua foi morto a pedradas no bairro União, região nordeste de Belo Horizonte.

Cão vira-lata salva idoso de ser eletrocutado no sul de Minas

Pingo também levou choque, mas conseguiu tirar fio elétrico de perto do dono
"Se não fosse ele, eu já estava morto", diz idosoRecord Minas
Um cachorro salvou um idoso de 80 anos da morte em Elói Mendes, no sul de Minas Gerais. O vira-lata, que sempre ficava preso, neste dia, tinha sido solto.  
O aposentado Luiz Gabriel estava limpando a piscina de casa com uma bomba de filtrar água, quando a mangueira se soltou. O equipamento estava ligado na tomada por uma extensão. No momento que o idoso foi colocar a mangueira no lugar, acabou encostando a mão em um fio elétrico.
— Caí de bruços. Eu tentava levantar e vibrava. Gritei socorro mas não tinha ninguém por perto. Então chamei o Pingo.
Pingo sempre ficava preso mas neste dia estava soltoRecord Minas
Pingo acabou arrastando os fios e salvou o dono. Porém, mesmo assim, o aposentado não conseguia levantar.  
— Ele chorava em volta de mim. Enquanto eu não sentei ele não sossegou.  
Depois do susto, Gabriel ainda precisou caminhar cerca de 1 km para chegar até uma rodovia, pegar um ônibus e contar à familia sobre o acidente. Ele precisou ficar 26 dias internado para tratar das queimaduras de terceiro grau que sofreu na mão.  
A família ia doar o vira-lata, porém, depois do gesto, continuará cuidando do pequeno herói.
— Se não fosse ele, eu já estava morto.