ANUNCIE AQUI E SAIA VENCEDOR

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Para investidores, reeleição de Dilma poderá piorar crescimento e elevar custo de vida

Levantamento encomendado pela XP Investimentos mostra que, no caso da vitória da petista, o Ibovespa cairia até 40.000 pontos

As incertezas sobre o quadro eleitoral levaram a Bolsa de São Paulo a mais um dia de fortes perdas, ontem. Em apenas 15 minutos de pregão, o Ibovespa, índice que acompanha as ações das principais empresas negociadas no pregão paulista, já havia caído 2,13%, aos 51,2 mil pontos. Ao fim do dia, o indicador perdeu mais pontos, até fechar o pregão em queda de 3,24%, aos 50.713. Em apenas quatro dias, as perdas já chegam a 9%.

A avaliação dos investidores é que a possível reeleição da petista poderá levar a uma piora do crescimento econômico e uma escalada ainda maior do custo de vida, que, em setembro, rompeu pela quarta vez no ano o teto da meta de inflação, e cravou alta de 6,51%.

Ipea confirma que país está em recessão técnica

Contradizendo o governo, órgão federal diz que desaquecimento da demanda interna está afetando o PIB. Divulgação ocorre mesmo com decisão do Planalto de adiar "dados ruins"
Com consumidores sentindo os efeitos dos preços em alta, consumo no Brasil desacelera e puxa a a economia para baixo
O fraco desempenho da economia brasileira, em recessão técnica, tem pouco a ver com uma crise internacional e está mais ligado à desaceleração da demanda doméstica e à redução dos investimentos na produção. A visão, contrária aos argumentos da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Fazenda, Guido Mantega, não vem da oposição ao governo, mas de uma ampla análise do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Lula é citado em depoimento do doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal

Segundo reportagem da revista Veja, Lula e Dilma sabiam de tudo
A revista Veja, que chega às bancas nesta sexta-feira, traz mais revelações sobre a investigação em andamento em Curitiba na Operação Lava-Jato, que investiga casos de corrupção na Petrobras. Em depoimento prestado na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef disse à Polícia Federal que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a presidente Dilma Rousseff (PT) sabiam do suposto esquema de corrupção na estatal. Segundo a revista, ao ser perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:
— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.
— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

De acordo com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, políticos do PT, PMDB e PP recebiam propina de construtoras em contratos superfaturados. Até o fechamento desta matéria, a campanha petista não havia se pronunciado sobre o assunto.
A divulgação na quarta-feira de trecho do depoimento do doleiro movimentou as redes sociais. O presidente do PPS, Roberto Freire, postou, no Twitter, que Youssef “confirma o que todo brasileiro sabia ou desconfiava”. Já o deputado Rubens Bueno (PR), líder do PPS, afirma que tinha conhecimento da extensão da corrupção. “Na verdade, eu sempre disse que tinha uma quadrilha instalada. A gente tinha de chegar ao chefe da quadrilha. Não tenho dúvida que vai ter impacto nas eleições e no mundo jurídico e político. Se aconteceu, cabe uma serie de providências junto a tribunais do país. Temos que analisar com calma e equilíbrio, porque ninguém pode manter um aparelho de estado desse tamanho, impunemente”, disse Bueno.

O líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), disse que é “impensável para qualquer brasileiro imaginar que a presidente Dilma não soubesse de nada do que estava acontecendo na Petrobras como ela vinha afirmando”. “É uma denúncia gravíssima e que abala as estruturas da República”, completou.

“Não vai ser dessa vez que vão enganar o povo brasileiro com denúncias sem provas”, publicou a Coordenação de Redes Sociais do PT, em sua conta no Twitter. 


Comentários:

Autor: Cabo Fernando
O que nos deixa mais chateado é que a Dilma continua a frente do Aécio nas pesquisas para presidente, o eleitor é ignorante e mesmo com todas as denúncias de corrupção dos políticos desse partido, principalmente envolvendo Lula e Dilma, eles continuam a frente. As vezes eu cinto nojo não é dos candidatos corruptos, mas da população, dos eleitores que não estão nem ai pelo que acontece a sua volta, se vendem por muito pouco.

 
Autor: Andre Lemos
NÃO SEI PORQUE AINDA NÃO PEDIRAM O IMPEACHMENT DESSA SENHORA, E COLOCARAM O MOLUSCO NA CADEIA.POR MUITO MENOS O COLLOR FOI EMBORA... TEM MAIS COISA NO AR QUE AVIÕES.. MUDA BRASIL!!!CHEGA!!CANSOU!!!!BASTA!!!ATÉ QUANDO TEREMOS QUE AGUENTAR ISSO??? | Denuncie |
  
Autor: Leader Rocha
Dilma foi Presidente da Petrobras no periodo que comecos as denuncias . logico e evidente que ela sabia e tb o Mentos de tudo - LULA. Estao riquissimos Lula e Dilma e o povo ainda acredita que sao Santos.... Santa inocencia.... Povo marcao , povo domado, povo Feliz VIVA AECIO para Presindente -45T | Denuncie |
 
Autor: Robson Silva
Isso, Lula, Dilma, Papai Noel e a mula sem cabeça. Falou 2, entrega o resto. Senão vai ser igual no caso dos partidos, falou só 3 e tinha mais | Denuncie |
 
Autor: Utsch Utsch
Engraçado, eu também já sabia, que eles sabiam! E isso já tem tempo, por incrível que pareça, não é segredo pra ninguém! Até agora não há novidade nenhuma nisso! Novidade será se eles forem considerados honestos.. aí será surpreendente.. do contrário, não me espanta! Collor perto desse povo é santo | Denuncie |
Autor: mário filho
DE UMA COISA VCS PODEM TER CERTEZA , EU NÃO VOTO EM LADRÃO. POR ISSO MEU VOTO VAI PARA AÉCIO NEVES. | Denuncie |
 
Autor: Flávio Capuruço
Isto é grave!!! Vamos mudar a história deste país e tirar os PeTralhas do poder. Depende somente de nós. Estes bandidos vão acabar com nosso país e nos dar uma "banana"... | Denuncie |
 
 http://www.em.com.br/app/noticia/especiais/eleicoes/2014/35,154,35,14/2014/10/23/interna_politica,582726/lula-e-citado-em-depoimento-do-doleiro-alberto-youssef-a-policia-federal.shtml

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

PMDB e PT comandam Estados que não pagam piso nacional dos professores

Governos de PR, GO, AL, TO, BA, RS, SE, RO e ES repassam menos que a lei manda a docentes

Piso atual dos professores no Brasil é de R$1.697,00
O salário dos professores das redes estaduais do Brasil entrou no debate eleitoral na reta final da campanha, após acusações mútuas entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) pela baixa remuneração dos docentes em alguns Estados do País.
Dados compilados pela CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) mostram que tanto o PSDB quanto o PT, legendas que disputam a Presidência, controlam governos que estão na lista dos piores pagadores.
A lei 11.738/2008 instituiu o “vencimento inicial dos profissionais do magistério público da educação básica”, com jornada de 40 horas semanais. Em 2009, esse valor era de R$ 950. Hoje, o mínimo está em R$ 1.697 (saiba mais).
Atualmente, são nove os Estados que não pagam o piso nacional para o professor com formação de nível médio (veja tabela abaixo). O de pior remuneração é o Espírito Santo, seguido por: Rio Grande do Sul, Bahia, Rondônia, Tocantins, Sergipe, Alagoas, Goiás e Paraná.
Dentre esses nove Estados, quatro são comandados pelo PSDB (PR, GO, AL e TO), dois pelo PT (BA e RS), dois pelo PMDB (SE e RO) e um pelo PSB (ES).
Há ainda um décimo Estado, o Rio Grande do Norte (comandado pelo DEM), que paga R$ 1.272,74 para uma jornada de 30 horas, e salário proporcional de R$ 1.696.98 — apenas dois centavos abaixo do piso para a jornada de 40 horas.
Filiada à CUT (Central Única dos Trabalhadores), o CNTE elabora sua tabela com informações recebidas pelas suas entidades filiadas nos Estados.
O que os Estados dizem?
R7 procurou representantes das secretarias de educação dos nove Estados apontados como maus pagadores. Veja a seguir o que eles dizem:
Goiás
Por meio de sua assessoria, a Secretaria Estadual de Educação de Goiás informa que paga o piso nacional dos professores, com salário inicial de R$ 1.707,56 para jornada de 40 horas. A assessoria informa ainda que todo professor que ingressa hoje na rede entra com ensino superior e piso de R$ 2.570,08.
Paraná
A secretaria do Paraná também informa que o Estado paga o piso, “embora não tenhamos ingresso de professores somente com o Ensino Médio”.
Segundo a assessoria de imprensa, o salário base para professores sem ensino superior é de R$ 1.731,26, além de 721,49 de auxílio transporte.
Bahia
Em nota de esclarecimento, a secretaria estadual baiana informa que o governo local “cumpre o piso salarial nacional do magistério desde 2009, quando começou a vigorar”.
“O vencimento inicial do professor de 40 horas na rede estadual, atualmente, é de R$ 1.860,84, ou seja, 9,63% acima do piso nacional que é de R$ 1.697,39. Com mais 31,18% de regência, a remuneração inicial do professor 40 horas na rede estadual de ensino é de R$ 2.441,05”, diz a nota.
Rio Grande do Sul
O governo gaúcho afirma que o Estado paga o piso. “Nenhum professor de 40h semanais recebe, no básico da carreira, menos que R$ 1.697,00. A esse valor somam-se as vantagens pessoais que o Membro do Magistério possa ter”, diz o governo, por meio de nota.
De acordo com a secretária adjunta de Educação, Maria Eulalia Nascimento, há ainda “o pagamento de um completivo salarial a todos os 6% dos professores que não alcançam o valor do piso no seu básico”.
A secretária afirma também que “ainda não foi realizada a indexação do valor do piso nos níveis da carreira”.
Espírito Santo
A subsecretária de Recursos Humanos do Espírito Santo, Sandra Bellon, afirma que “o Estado cumpre a lei do piso sim, desde que foi instituído, em 2008”.
Sandra explica que existem duas tabelas de remuneração no Estado, a de “vencimento”, com piso de R$ 554,32, e a de “subsídio”, criada em 2007, com salário-base atual de R$ 1.093,82 para 25 horas semanais — proporcionalmente a 40 horas, essa remuneração é de R$ 1.750,11.
De acordo com Sandra, no entanto, a “tabela de vencimento não é mais aplicada”, a não ser por 69 profissionais na ativa que preferiram não migrar para a nova tabela.
— Quem continua na tabela de vencimento se aplica o piso R$ 1.060,63 para 25 horas, e sobre esse valor geram ainda as vantagens pessoais.
Sergipe
A assessoria da Secretaria da Educação do Sergipe informa que o Estado foi “um dos primeiros” a pagar o piso nacional. Segundo o órgão, o salário inicial dos professores é de R$ 2.375,80, com ganho de 302% desde 2005.
As secretarias de Rondônia, Alagoas e Tocantins não responderam até a publicação desta reportagem.
Debate em Minas Gerais
O salário dos professores foi centro da discussão eleitoral após o programa de rádio do PT de 13 de outubro, quando o locutor diz: “no governo dele [Aécio governou MG de 2003 a 2010], os professores de Minas recebiam um dos piores salários da rede pública, abaixo do piso nacional”.
A resposta de Aécio veio no dia seguinte. Na propaganda de TV da terça-feira (14), a campanha tucana afirmou que o “PT adora apostar na confusão” e que o governo de Minas Gerais paga o piso salarial dos professores e está entre as unidades da Federação que melhor remuneram o magistério.
Atualmente, o salário-base em MG é de R$ 1.455,30 (para 24 horas), de acordo com a secretaria estadual de educação. Proporcionalmente, o salário inicial no Estado é de R$ 2.425,50, ou 42% a mais do que é exigido na lei. Mas no último ano da gestão Aécio, o valor era de R$ 369,89 para uma jornada de 24 horas semanais — esse salário era o mínimo inicial sem as gratificações —, portanto, abaixo do piso em 2010, calculado em R$ 1.024,67 para 40 horas semanais.
Essa conta, no entanto, é questionada pelo Sind-UTE/MG (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais). Como o governo acabou com a divisão entre salário-base e gratificações, o sindicato entende que o valor de R$ 1.237,01 corresponde à remuneração total, e não ao piso salarial, que não pode ser calculado.
Para Beatriz Silva Cerqueria, coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, “para chegar a R$ 1.237, o governo juntou o vencimento básico dos professores com os auxílios”.
— Mas esse valor não é o piso, é o total da remuneração. O governo de MG usa isso porque as pessoas acham que vencimento básico e remuneração total é a mesma coisa.

MG paga o valor de R$ 1.237,01 ao professor(a) por 24 horas de serviço e o salario proporcional a 40 horas deR$ 2.061,68  

http://noticias.r7.com/eleicoes-2014/psdb-pmdb-e-pt-comandam-estados-que-nao-pagam-piso-nacional-dos-professores-23102014

Denúncia envolvendo candidato ao governo do RJ que tem como partido o PMDB coligado ao PT

Construtoras que mais injetaram dinheiro na campanha de Pezão executaram obras milionárias no Rio

Sobrinho do governador que atua como tesoureiro da campanha é ligado à construtoras
Pezão recebeu R$ 45 milhões em doações de 17 construtorasErbs Jr. / Frame / Estadão Conteúdo
Documentos obtidos pelo R7 em cartórios do Rio de Janeiro mostram que o governador do Estado, Luiz Fernando Pezão, deu ao sobrinho Flavio Cautiero Horta Jardim Jr. procuração para representá-lo nas questões eleitorais durante a campanha em que Pezão tenta se manter no cargo.


Por essa procuração, datada de 4 de agosto de 2014, o sobrinho do atual governador está autorizado a movimentar a conta bancária da campanha, depositar e retirar dinheiro, assinar cheques e fazer transferências.

Que saudades do do movimento jamais visto na face da terra OS CARAS PINTADAS

Editorial do Blog do Cabo Fernando: Dia 26 de outubro esta chegando, será o dia D para a sobrevivência do Brasil. A disputa entre o Aécio Neves e Dilma Rousseff esta acirrada, mesmo com tantas denúncias contra candidatos do PT, mesmo com todos os desmandos praticados na era Lula e agora na era Dilma, com a inflação nas alturas, com a segurança pública num estágio difícil de aguentar e a presidente dizendo que esta tudo bem, que o investimento federal é um dos melhores, no entanto o cidadão e cidadã não podem mais sair de casa, alias não podem nem ficar dentro de casa pois o bandido invade a residencia e os faz refém, Mesmo com todos os desmandos do partido mais corruPTo do país, mesmo com a união da atual presidente do país com um presidente deposto por corrupções em seu governo (Collor de Mello), com a união da Dilma com o deputado com mais processos criminais no país e no exterior que é o Paulo Salin Maluff, com um partido cheio de políticos condenados no mensalão partido esse que fizera vaquinha para pagar multa de seus mensaleiros, com um ex-presidente e uma atual presidente que defenderam até o último momentos esses ditos mensaleiros, uma presidente que esta deixando a Petrobrás se afundar na lama da corrupção e que agora nas véspera do segundo turno da eleição vem dizer que vai acabar com a corrupçao, porque não o fez no início? Mesmo com tudo isso alguns eleitores principalmente aqueles mais pobres que vivem as custas do bolsa família não enxergam o óbvio e com isso as pesquisas suspeitas da Vox populi apontam empate técnico dos dois candidatos a presidente. 
Para continuar no poder, Dilma se alia até a um ex-presidente
deposto e a paulo Salin maluff
Tenho uma grande saudade da era Collor, mas não do governo dele e sim do seu final quando uma grande manifestação promovida em sua maioria por jovens mas com a participação de todas as idades. Saudades dos CARAS PINTADAS, que colocou fim a um presidente corrupto que hoje é aliado da atual presidente. ACORDE GIGANTE, ACORDE CARAS PINTADAS.

INDEPENDÊNCIA OU MORTE

Ficou conhecido no Brasil inteiro, durante o início da década de 90, o movimento dos "caras-pintadas", que consistiu em multidões de jovens, adolescentes em sua maioria, que saíram às ruas de todo o país com os rostos pintados em protesto devido aos acontecimentos dramáticos que vinham abalando o governo do então presidente Fernando Collor de Mello.

Para entender o fenômeno dos caras-pintadas é importante analisar o contexto no qual ele está inserido. O Brasil realizara recentemente eleições diretas para presidente em 1989, garantia que havia sido tomada ao cidadão brasileiro pelo regime militar, sendo que o último pleito direto, isto é, com a participação do povo, ocorrera em 1960. Tal fato era constantemente lembrado pelos meios de comunicação da época, enfatizando a importância da participação popular na vida política brasileira.

Em meio a todos os clamores a essa participação popular, procurando que de alguma forma recuperar o tempo perdido em meio ao marasmo dos anos de repressão, a mídia e a opinião pública reviviam intensamente os momentos em que de alguma forma a população se revoltou ante às arbitrariedades do regime de exceção, e entre os grandes momentos de luta pela democracia no país estavam os protestos estudantis de final dos anos 60, onde jovens universitários de pouco mais de 18 anos de idade saíam às ruas para protestar abertamente contra o governo, demonstrando ter alta organização, intelecto e politização, expressando ideias geralmente de esquerda, sendo que muitos perderam a vida, ou foram presos, ou relegados à clandestinidade, ou ainda perderam os direitos políticos e sociais.
Entre essas lembranças, e por isso mesmo, a eleição de 1989 assumiu um significado importante na história do país. Dela resultou eleito Fernando Collor de Mello, com uma plataforma de combate à hiperinflação, moralização e caça aos corruptos, que ficaram popularmente conhecidos como "marajás", termo bradado à exaustão por Collor e seus apoiantes.
Pouco depois, porém, o governo no qual muitos brasileiros colocaram suas esperanças começou a mostrar falhas estruturais. O Plano Collor de contenção da inflação fora um desastre completo, causando pânico na povo, além de denúncias de corrupção que iam surgindo por todos os lados, com declarações contundentes vindas do próprio irmão do presidente, envolvendo pessoas ligadas diretamente ao presidente, em especial um personagem que ficou muito conhecido à época: Paulo César Farias, o PC Farias, tesoureiro da campanha eleitoral de Collor.
O apoio político e popular ao governo ia encolhendo a olhos vistos em 1992, até que então, o presidente resolve reagir e conclamar a população a sair às ruas e manifestar seu apoio ao governo e, em última instância, ao país, fazendo isso de modo extensivo, utilizando uma "camiseta ou qualquer peça de roupa nas cores do nosso país", como diria o presidente em infame discurso.
A imagem dos estudantes conscientes, desafiadores, rebeldes dos anos 60 então faz a cabeça do imaginário popular naquele momento, e entre a população estavam os estudantes à época, geralmente de classe média, não tão politizados, e com ideias nem tão claras acerca do modo como reagir em meio ao seu descontentamento. Influenciados por toda "mitologia" que estava se criando em torno dos protestos ocorridos na década de 60 os caras-pintadas saem às ruas, mas vestindo e pintando-se de preto, em um repúdio às palavras de Collor, parcialmente irônico, parcialmente politizado. A imprensa iria cunhar o termo caras-pintadas a tais jovens, tornando-os ícones do descontentamento popular contra o poder constituído, mas, que diferentemente do movimento politizado e militante do passado, os protestos de 20 anos depois assumia um tom de humor, ironia, anarquia e um posicionamento político não tão marcado, e por isso mesmo recebendo críticas como um movimento algo artificial de mímica dos históricos protestos da era militar.
De qualquer modo, os caras-pintadas tornariam-se ícones de um novo modo que o povo descobriu de se fazer democracia: a deposição de seus dirigentes incompetentes ou corruptos.

Aécio Neves faz desabafo na TV contra "calúnias"

Aécio Neves afirmou nessa quarta-feira em sua propaganda eleitoral na TV que não tem medo do PT e que a eleição de 2014 “ficará marcada pela mentira e pela calúnia”.  “De 22 peças publicitárias produzidas pela minha adversária, 19 foram para me atacar e apenas três para falar de propostas. Beneficiários do Bolsa Família estão sendo aterrorizados com a mentira de que eu iria acabar com o programa. Não vou. Vou manter o Bolsa Família. Famílias que estão inscritas no Minha Casa, Minha Vida estão recebendo ligações dizendo que irei acabar com o programa. Não vou”, disse Aécio.


Ele citou ataques de petistas aos outros candidatos. “As mesmas pessoas que chamaram Eduardo Campos de playboy agora me agridem. As mesmas que atacaram Marina Silva de forma cruel, agora se voltam contra mim”, ressaltou. “Eu não tenho medo do PT.”


O senador criticou também a divulgação nas redes sociais de informações sobre atos de agressão às mulheres, em referência a um suposto caso de agressão a sua esposa. “Me acusam de comportamento pessoal criminoso. Tentam me desqualificar. Chegam a insinuar que eu poderia ser desrespeitoso com as mulheres, ofendendo minha esposa, minha filha de 23 anos, minha mãe e todas as mulheres do Brasil. Porque tanto ódio? Tanto desrespeito?.” 

SEGUNDO A PM ESTIVERAM PRESENTES NA PRAÇA DA ESTAÇÃO NO COMÍCIO DO AÉCIO MAIS DE 3000 PESSOAS. JÁ NO EVENTO DA DILMA ROUSSEFF FORAM 500 PESSOAS APROXIMADAMENTE

Em audiência Laranja mentiu ao citar propina para o PSDB, diz advogado de doleiro

Nome de ex-presidente do partido havia sido mencionado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em sua delação premiada como beneficiário de R$ 10 milhões

O advogado do doleiro Alberto Youssef, Antonio Augusto Figueirdo Basto, diz que é "mentirosa" a citação feita por um dos laranjas do esquema de que integrantes do PSDB também receberam propina.

 O advogado entrou na Justiça com um pedido de acareação entre o laranja e o doleiro.
O laranja, Leonardo Meirelles, disse em audiência na Justiça federal nesta segunda-feira (20) ter ouvido o doleiro citar Sérgio Guerra --ex-presidente do PSDB que morreu em março deste ano-- numa conversa telefônica.
Meirelles contou também que havia outro parlamentar do PSDB envolvido no esquema de suborno, que seria do Paraná.
A Folha de S.Paulo revelou na última quinta-feira (16) que o nome de Guerra havia sido mencionado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em sua delação premiada como beneficiário de R$ 10 milhões.
O senador e então presidente do PSDB teria recebido o montante para ajudar a esvaziar a CPI da Petrobras em 2009.
A reportagem da Folha de S.Paulo sobre Guerra não fazia menção a Youssef.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Desastre para o PT: numerólogo bíblico garante que Dilma será derrotada em 2014 e que Lula morre antes de 2015

O numerólogo Walter Prado trabalha para grandes nomes da música, ciência e do meio empresarial. Ele diz que Lula está morrendo e que Dilma será derrotada em 2014
O numerólogo bíblico, Walter Prado, traz previsões negras para o PT nos próximos dois anos. Em matéria publicada na página 10 do jornal Diário da Manhã deste domingo 27/10, o jornal da cidade de Goiânia apresenta previsões que são um verdadeiro desastre para o partidos dos trabalhadores.
Walter Prado informa que os números bíblicos mostram que Dilma Rousseff não vencerá as eleições presidenciais de 2014. Ele aponta que Dilma tem um desgaste muito grande e que as pesquisas que a mostram bem avaliada estão na verdade maquiadas. Prado chega a dizer que um novo nome que vai aparecer em breve será ungido para vencer as eleições para presidente.
O outro grande desastre que Walter Prado garante estar decretado pelos números é a perda do maior líder do PT, Luiz Inácio Lula da Silva. Sim, Walter Prado afirma textualmente que Lula não chegará a 2015 vivo. É isso mesmo! O famoso numerólogo bíblico garante que Lula morre em 2014. Walter prado ainda falou em relação ao estado de Goiás onde ele destaca as atuações de Marconi Perillo e de Junior Friboi. 
Confira o print da matéria do Jornal Diário da Manhã!
http://www.canalgama.com.br/noticias/desastre-para-o-pt-numerologo-biblico-garante-que-dilma-sera-derrotada-em-2014-e-que-lula-esta-morrendo

Pezão declara apartamento avaliado em R$ 170 mil em região onde preço médio varia de R$ 800 mil a R$ 1,7 milhão

À Justiça eleitoral, candidato do PMDB afirmou ter perdido 7% do patrimônio em quatro anos

Luiz Fernando Pezão, candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PMDB, declarou à Justiça Eleitoral neste ano ter perdido 7% do seu patrimônio nos quatro anos em que ocupou o posto de vice-governador do Estado.
Em 2010, quando foi candidato a vice-governador na chapa com Sérgio Cabral Filho, Pezão informou à Justiça Eleitoral que tinha um patrimônio de R$ 271.162,95. Neste ano, já como candidato do PMDB ao governo do Rio de Janeiro, depois de passar os últimos sete meses à frente do Estado, já que Sérgio Cabral Filho renunciou ao posto de governador, Pezão informou ter um patrimônio total de R$ 252.768,40 – 7% menos do que em 2010.

Policial militar foge de blitz e arrasta agente de trânsito no Distrito Federal; assista

Estado de Minas
Ao tentar fugir de uma blitz montada em movimentada avenida de Águas Claras, no Distrito Federal, o PM Rubens de Campos andou por cerca de 500 metros com um agente do Departamento de Trânsito (Detran) agarrado ao capô do carro. Câmeras de prédios próximos ao local mostram a ação do motorista.

A abordagem ocorreu na tarde de segunda-feira (20/10), por volta das 14h. Rubens acabou preso. O PM já havia sido abordado pelo Detran em julho, quando conseguiu fugir. Ontem, por volta das 10h30, a corporação já possuía uma equipe pronta caso Rubens tentasse escapar novamente. O veículo, um Fiat Palio, possuía R$ 16 mil em débito em multas e tributos.

Durante a perseguição, o carro de Rubens "morreu", e os auditores tentaram se aproximar. Um dos agentes andou em direção ao carro e sinalizou para que ele parasse, mas o PM ignorou a ordem e avançou rumo ao agente, que se segurou no capô do veículo. Rubens só parou depois de ser fechado por outra viatura.

O policial continuou resistindo a prisão, tentando dar socos e cotoveladas nos auditores. O homem foi contido depois da chegada de uma viatura da Polícia Militar. Ele foi encaminhado para a 21ª Delegacia de Polícia somente no início da tarde. Após serem constados outros processos criminais no nome dele, foi levado para a carceragem, na Papuda.

Grande BH precisa tirar do papel obras para escoamento de enxurradas

Em Belo Horizonte, apesar de a prefeitura garantir estar investindo R$ 500 milhões em obras em andamento, só foram efetivamente concluídas, desde a temporada chuvosa do ano passado, intervenções para evitar cheias no entorno dos córregos Jatobá e Olaria, no Barreiro
Mal chegou o alívio, veio junto a preocupação. Bastaram as primeiras chuvas para provocar estragos em ruas e avenidas e medo entre moradores e comerciantes de áreas historicamente marcadas por alagamentos na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Com acúmulo de 55 milímetros registrado em estação na Pampulha, o equivalente a 45% da média de outubro para a capital, a pancada de ontem acendeu o alerta sobre como será o período chuvoso na Grande BH e a preocupação com o que já foi feito para evitar prejuízos e mortes. O temporal de terça-feira foi suficiente para provocar alagamentos e estragos no asfalto, principalmente em locais como o limite entre a capital e Contagem, na Avenida Tereza Cristina, além de carregar lixo para bueiros e outras estruturas de drenagem.

Em Belo Horizonte, apesar de a prefeitura garantir estar investindo R$ 500 milhões em obras em andamento, só foram efetivamente concluídas, desde a temporada chuvosa do ano passado, intervenções para evitar cheias no entorno dos córregos Jatobá e Olaria, no Barreiro. No Córrego da Serra (Centro-Sul), a ampliação do canal tem previsão de ficar pronta neste semestre. Ainda estão no papel intervenções importantes para a cidade, como a implantação de um canal de drenagem paralelo à Avenida Francisco Sá, no Prado (Região Oeste) e intervenções no Córrego Cachoeirinha e nos ribeirões Pampulha e Onça – estas últimas com impactos diretos nas avenidas Cristiano Machado e Bernardo Vasconcelos, onde alagamentos são frequentes. Apesar de destacar os investimentos, a administração municipal afirma que inundações são eventos naturais e admite que não é possível realizar obras que eliminem por completo os riscos.

Para Aécio, PT jogou campanha 'na lama'

O candidato a presidente Aécio Neves disse que petistas estão veiculando "mentira anônima"

São Paulo - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, usou nesta terça-feira, 21, o programa eleitoral na TV para acusar o PT de levar a "campanha para a lama" por veicular, segundo ele, "mentira anônima". Após o debate promovido pelo SBT na semana passada, marcado pelos ataques pessoais entre os candidatos, a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passaram a associar o tucano à ideia de agressividade com as mulheres.
A coligação do candidato do PSDB entrou com uma ação na Procuradoria-Geral Eleitoral contra a campanha petista, alegando que a propaganda adversária é caluniosa e difamatória. "Não tenho o menor problema em aceitar críticas, faz parte do jogo político. Mas quando a crítica se transforma em ataque e quando esse ataque se transforma em mentira e, mais grave ainda, quando a mentira é anônima, aí a campanha vai para a lama", afirmou Aécio na propaganda eleitoral, sem especificar a que ataques ou informações fazia referência.